Bula do Capilarema para o Paciente

    Bula do Capilarema produzido pelo laboratorio Laboratórios Baldacci Ltda
    para o Paciente com todas as informações sobre este medicamento

    Bula do Capilarema
    Laboratórios Baldacci Ltda

    BULA COMPLETA DO CAPILAREMA PARA O PACIENTE

       

     

    Capilarema®

    aminaftona

    Laboratórios Baldacci Ltda.

    Comprimidos

    75 mg

    CAPILAREMA®

    APRESENTAÇÕES

    Comprimidos de 75 mg – embalagens com 30 ou 60 comprimidos.

    VIA ORAL - USO ADULTO

    COMPOSIÇÃO

    Cada comprimido de CAPILAREMA®

    contém:

    aminaftona ...................................75 mg

    Excipientes q.s.p. ............ 1 comprimido

    Excipientes: amido, celulose microfina, estearato de magnésio e povidona.

    INFORMAÇÕES AO PACIENTE

    1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

    Este medicamento é destinado ao tratamento de situações nas quais as estruturas e funções dos vasos

    sanguíneos estão alteradas, seja por causa de uma doença, de um trauma ou uma cirurgia.

    CAPILAREMA®

    normaliza estes vasos sanguíneos, aliviando os sintomas (sensação de peso nas pernas,

    dor, dificuldade para caminhar, inchaço, cãibras, sensação de dor e comichão, coceira), diminuindo a

    obstrução e melhorando a chegada do sangue em quantidade suficiente para oxigenar os músculos.

    Também pode ser usado como agente preventivo onde os vasos e tecidos possam estar comprometidos

    devido à fragilidade dos vasos sanguíneos.

    2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

    CAPILAREMA®

    normaliza a permeabilidade e aumenta a resistência dos vasos capilares diminuindo os

    sintomas decorrentes da insuficiência vascular periférica, que é causada por uma obstrução das artérias dos

    membros, impedindo a chegada do sangue em quantidade suficiente para oxigenar os músculos. É estimado

    um tempo inferior a 30 dias para o início da ação farmacológica do medicamento.

    3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

    Você não deve tomar CAPILAREMA®

    se tiver alergia a aminaftona ou aos outros componentes da

    fórmula.

    Este medicamento é contra-indicado para uso por pessoas com diminuição de uma enzima chamada

    glicose-6-fosfato-desidrogenase.

    4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

    A sua urina poderá ter uma coloração ligeiramente vermelha, pois a maior parte da eliminação do

    aminaftona ocorre pela urina.

    É muito importante que você informe ao seu médico os problemas de saúde que você tenha e todos os

    medicamentos que estiver utilizando.

    CAPILAREMA®

    comprimidos não contém açúcar, podendo ser utilizado por pacientes diabéticos.

    Não foram efetuados estudos sobre a habilidade de dirigir ou operar máquinas.

    Não há estudos dos efeitos de CAPILAREMA®

    administrado por vias não recomendadas, portanto, para

    sua segurança e eficácia, utilize somente por via oral.

       

     

    Gravidez

    Não há informações disponíveis para aminaftona em pacientes grávidas. CAPILAREMA®

    portanto, não é

    recomendado para uso durante a gravidez.

    Lactação

    Não há informações se aminaftona é excretada no leite humano, que é, portanto, contra-indicado durante a

    amamentação.

    Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do

    cirurgião-dentista. (Categoria de risco na gravidez: categoria B)

    pode ser usado por pessoas acima de 65 anos de idade, desde que observadas as

    precauções do produto.

    Não são conhecidas quaisquer restrições ao uso de CAPILAREMA®

    juntamente com outros

    medicamentos e alimentos. A aminaftona não interage com os derivados de cumarina, nem com as

    substâncias antifibrinolíticas. Experimentalmente foi observada uma inibição parcial da atividade

    heparínica.

    Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

    Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

    5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

    Você deve conservar CAPILAREMA®

    em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C), protegido da luz e

    da umidade.

    Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

    Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

    Os comprimidos de CAPILAREMA®

    são de cor bege, circulares, planos e lisos.

    Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você

    observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

    Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

    6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

    Você deve tomar os comprimidos por via oral, sem mastigar e com líquido suficiente para engolir.

    Para uma dose de ataque: 2 comprimidos, 2 vezes ao dia, durante 5 dias ou a critério médico.

    Para uma dose de manutenção: 1 comprimido, 2 vezes ao dia ou a critério médico.

    Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

    Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

    Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

    7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

    Você pode tomar a dose seguinte como de costume, isto é, na hora regular e sem dobrar a dose.

    Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

    8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

    A aminaftona é geralmente bem tolerada. Este medicamento pode causar reações desagradáveis ocasionais

    não graves, de leve intensidade como: enjoos, azias, tonturas e dores de cabeça.

       

     

    As reações adversas a este medicamento muito raramente foram relatadas, entre os quais casos

    extremamente raros de crise hemolítica em indivíduos com defeito genético da glicose-6-fosfato

    desidrogenase (G6PD) nos eritrócitos para os quais o medicamento é contra-indicado.

    As reacções adversas notificadas, vindos principalmente de ensaios clínicos, estão listadas abaixo por

    classe de sistema de órgãos e frequência.

    Reações muito comuns (ocorrem em 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

    Sistema gastrointestinal: Enjoos, azias, tonturas e dores de cabeça

    Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

    Sistema gastrointestinal: Dispepsia (sensação de indigestão).

    Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

    Doenças do sistema nervoso: tonturas, dor de cabeça.

    Sistema gastrintestinal: dor abdominal superior, náuseas.

    Reações muito raras (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):

    Da pele e distúrbios do tecido subcutâneo: erupções na pele, comichão.

    Doenças do sangue e do sistema linfático: anemia hemolítica – favismo (em indivíduos com deficiência de

    G6PD)

    Doenças do sistema imunológico: hipersensibilidade.

    Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis

    pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

    9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

    DESTE MEDICAMENTO?

    Não existem relatos de intoxicação por superdosagem de CAPILAREMA®

    . Em caso de administrar uma

    dose maior que a recomendada em bula acidentalmente, deve procurar um médico ou um centro de

    intoxicação imediatamente. O apoio médico imediato é fundamental, mesmo se os sinais e sintomas de

    intoxicação não estejam presentes.

    Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e

    leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de

    mais orientações.

    Bula do Capilarema
    Laboratórios Baldacci Ltda

    Cuidado! Todas as informações contidas neste site têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente.